10 Sinais que uma pessoa dá ao pensar em suicídio

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Confira quais são os alarmes indicadores que podem revelar essa intenção nas entrelinhas

Sabia que, enquanto algumas pessoas dão sinais visíveis de que sua saúde mental não anda bem (como manifestações de isolamento, depressão ou dor emocional), demais indivíduos podem continuar seguindo suas rotinas normalmente, demonstrando que tudo está bem?
Daí vem a importância de estarmos atentos em possíveis mudanças, mesmo que sutis, na personalidade e modo de agir de pessoas próximas a nós, ainda mais se essa pessoa estiver passando por alguma situação difícil no momento.

Lembrando que você pode se aprofundar nesses assuntos baixando nosso e-book gratuitamente. É só acessar esse link!

Confira 10 sinais de que uma pessoa pode estar pensando em se suicidar:

Sinais verbais

1. “Quero me matar”, “Quero morrer”, “Vou cometer suicídio”

Por mais que essas frases sejam claras, muita gente acaba não dando a devida atenção a elas, pois acredita que esse indivíduo não está falando a verdade. Dizer que quer morrer não é algo que deve ser normalizado; é preciso ligar o sinal de alerta, olhando com um uma postura diferenciada para essa pessoa.

2. “Estou muito cansado (a), não quero mais continuar”

Essa frase, muitas vezes, não recebe a devida atenção, mas significa que a pessoa está passando por um grave esgotamento, ou seja, sua saúde emocional está prejudicada.

• Sinais comportamentais

3. Demonstrar tristeza excessiva e se isolar

Uma pessoa que está sempre triste, recusando convites ou deixando de fazer coisas que fazia habitualmente pode estar enfrentando uma fase difícil. Pode ser, ainda, que ela não saiba com clareza que está passando com uma depressão, e que tem apenas uma dificuldade momentânea em lidar com seus próprios problemas e rotina. Com o passar do tempo, essa pessoa pode desanimar e perder a vontade de viver.

4. Mudanças bruscas na aparência e em seu comportamento

Quem tem ideias suicidas em sua mente, geralmente, acaba mudando seu comportamento habitual. Quando o interesse pela vida se vai, deixar de se importar com a forma como se veste ou até não dar a devida atenção à hábitos de higiene pessoal são atitudes comuns (vestir roupas muito velhas ou sujas, não cortar o cabelo ou aparar a barba, deixar de tomar banho…).

5. Ter comportamentos considerados arriscados

Participar de atividades de risco, por exemplo, fazendo uso de drogas lícitas ou ilícitas, praticando sexo desprotegido, dirigindo em velocidades elevadas, dentre outras situações perigosas.

6. Insônia ou dormir demais

Esse tipo de alteração mexe muito com o humor. Quando o sono está desregulado, seja ele para mais ou para menos, é porque algo não vai tão bem o quanto deveria na saúde emocional. A pessoa que reclama de cansaço excessivo ou desânimo pode estar precisando de ajuda. Ouça-a!

7. Agressividade e rispidez frequente

Às vezes, a depressão pode ser confundida com agressividade, principalmente em pessoas mais jovens. Por não terem vontade de fazer as coisas (sair, se alimentar, estudar), as repostas podem acabar sendo mais ríspidas, e esses são fortes indícios de que a saúde emocional esteja comprometida.

8. Ou, também, o oposto: calma em excesso após fases difíceis

Embora as pessoas próximas pensem que calma e tranquilidade após uma depressão ou luto possam ser sinais positivos e de recuperação, isso pode ser, na realidade, um indício de que uma pessoa pode estar pensando em tirar a própria vida. Embora intrigante, esse comportamento acontece porque a pessoa acredita que encontrou a solução para o seu problema, deixando de se sentir tão preocupada, e dessa forma sentindo-se inclusivamente “feliz”.

9. Resolver, do dia para a noite, vários assuntos pendentes – ou visitar parentes/amigos distantes

Você já parou para pensar que, quem tem pensamentos suicidas, sente que precisa realizar tarefas para tentar deixar tudo o mais organizado possível para quem “ficar”? Acontece como se ela fosse realizar uma viagem prolongada ou viver para outro país; ela pode visitar familiares que já não vê há muito tempo, fazer um testamento, quitar pequenas dívidas ou oferecer seus objetos pessoais a alguém, para deixá-los de lembranças.

10. Nostalgia (apego exagerado ao passado)

Quando uma pessoa diz, excessivamente, que era mais feliz anteriormente, relembra fases passadas com muito saudosismo, há indícios de que pode haver algum pensamento suicida em sua mente. É sempre importante se dispor a ouvir, questionar se está tudo bem e se oferecer para dar suporte com o que essa pessoa precisar.

Desabafe! No Brasil, o Centro de Valorização da Vida (CVV) é responsável por promover apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo gratuitamente, sob total sigilo, por telefone (188), e-mail e chat 24 horas todos os dias.

Ei! Você já conhece o nosso mais novo e-book? Preparamos esse presente para você, de forma completamente GRATUITA.

Em CONHEÇA-TE E TRANSFORME SUA VIDA você vai encontrar textos que irão ajudar a elevar sua autoestima, compreender o poder transformador do perdão e, ainda, ter à sua disposição outras séries de ferramentas que transformarão sua maneira de enxergar a vida. Basta se inscrever clicando aqui e você receberá no seu e-mail o link para download! BOA LEITURA!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.